Itapoã Clube de Campo, Santa Mariana-PR
Notícias
ItapoãNews: BemStar

Como recuperar a energia para praticar atividade física?

 

Atitudes simples podem ajudar a manter a disposição para realizar exercícios

 

               Tem uma fase em que ficamos sem energia e resistência para continuar praticando atividade física. Geralmente, isso acontece no período de inverno, ou quando a rotina profissional fica mais pesada, gerando mais cansaço e estresse. Algumas atitudes muitos simples podem ajudar a resolver o problema.

                Em primeiro lugar, o sono. Se conseguir manter o padrão de oito horas diárias a disposição no dia seguinte estará garantida. Para garantir um sono tranquilo, as atividades que antecedem o período de descanso devem ser tranquilas também. Leitura, ouvir uma música suave podem ajudar.

                O segundo item é a alimentação. Quem consome alimentos gordurosos acaba precisando de mais energia para conseguir metabolizá-los. Então, se quer ter disposição opte por alimentos leves, como verduras, legumes, e frutas; principalmente a banana. Cereais integrais, iogurte, batata doce, ovos, proteínas magras como peito de frango, são recomendados para quem pratica atividade física e quer aumentar a energia.

                Ao longo do dia, no trabalho, evite ficar sentado por muito tempo, na mesma posição. Lembre-se de fazer pausas regulares para alongar os músculos e hidratar o corpo, tomando água. Quem fica parado muito tempo acaba se cansando mais facilmente e ficando sem disposição.

                A música influencia o exercício e pode aumentar a disposição. Escolhas vibrantes e alegres para embalar seu treino.
































































































































FONTE:

http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=fitness_home

ESTÁ CHEGANDO A GRANDE FESTA
12 erros comuns cometidos na academia

Exercitar-se de maneira correta ajuda a melhorar a forma física e afastar o risco de lesões

           





          Ganho de massa muscular, emagrecimento, saúde. As pessoas praticam atividade física com objetivos diversos. Para alcançar a meta, não basta se exercitar — é preciso se exercitar do jeito certo. Exagerar na carga, pular o aquecimento e seguir sempre a mesma série são alguns erros que atrapalham o progresso na academia. "Fazer qualquer exercício de maneira incorreta pode causar lesões articulares e musculares, fadiga excessiva, câimbras, falta de ar e diminuição do desempenho e dos resultados nos treinamentos", diz Flavia Martinez, educadora física e diretora do Laboratório do Exercício, da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Conheça alguns erros comuns na academia.

 

 

Fazer apenas musculação ou exercício aeróbio

 

          Ambas as modalidades são complementares. "No caso das pessoas que fazem musculação, atividades aeróbias, como a corrida, aumenta a capacidade do sistema de oxigenação, pouco trabalhado no levantamento de peso", explica Paulo Correia, fisiologista do esporte da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Já quem se dedica apenas ao exercício cardiovascular precisa da musculação para prevenir lesões — com pouca massa magra, o trabalho das articulações fica limitado e fragilizado. Uma das formas de combinar as duas modalidades é o treinamento em circuito, que consiste em fazer exercícios de musculação sem pausas entre eles. Esse treinamento eleva a frequência cardíaca e queima mais calorias do que a musculação convencional.

 

 

Não respeitar o intervalo entre as séries

 

          O descanso entre séries é essencial para o músculo se recuperar para a próxima rodada de repetições. É nesse intervalo em que há a liberação de hormônios importantes para o crescimento muscular, o aumento da força e a queima de gordura: o GH e a testosterona. O Colégio Americano de Medicina do Esporte sugere intervalos de 2 a 3 minutos entre as séries de musculação.

 

 

Esquecer-se de alongar

 

          A flexibilidade facilita a movimentação correta do corpo e potencializa o rendimento de exercícios como musculação e corrida. Por isso, o alongamento é importante. A recomendação é alongar-se em dias diferentes do treino aeróbio e anaeróbio e respeitar o próprio limite de alongamento. "A falta de flexibilidade causa encurtamento dos músculos, o que dificulta o movimento e diminui a força", diz Paulo Correia.

 

 

Extrapolar os limites do corpo no exercício aeróbio

 

          A corrida, o ciclismo e outros exercícios aeróbios beneficiam o sistema cardiovascular e aliviam o stress — desde que praticados dentro de um limite saudável. Dores musculares mais fortes do que o normal durante o exercício e no dia seguinte à prática são conhecidos sinais de que se ultrapassou o limite. Outra evidência é a falta de ar. "Se uma pessoa sentir falta de ar durante o exercício, precisa diminuir o ritmo”, diz Luiz Fernando Kruel, especialista em ciência do movimento humano e coordenador do grupo de pesquisas de atividades aquáticas e terrestres da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

          Antes de começar a praticar treinos aeróbicos, é recomendável submeter-se a um teste ergométrico, exame que avalia a resposta cardíaca a diferentes intensidades de exercício e define a frequência cardíaca máxima individual. O teste pode, ainda, diagnosticar sintomas relacionados a doenças no coração. Outra dica é, durante o exercício, utilizar um frequencímetro, dispositivo que mede a frequência cardíaca. "Na falta do aparelho, a sensação subjetiva do esforço — leve, moderado, forte e muito forte — também serve de parâmetro", diz Renata Castro, coordenadora do Serviço de Clínica Médica do Hospital Oeste D'or e especialista em medicina do exercício e do esporte.

 

Exagerar na carga

 

          Esse é um erro comum entre os adeptos da hipertrofia, modalidade de musculação focada no ganho de massa muscular. A cada contração, as fibras musculares sofrem microlesões, que, ao se regenerarem, tornam o músculo mais resistente e volumoso — o desejo de todo atleta. O problema é que o peso exagerado pode fazer o músculo se distender demais e, no processo de regeneração, criar fibroses, machucados que causam perda de elasticidade. "Além disso, ao exagerar no peso, a pessoa transfere o esforço do exercício para outras articulações e, principalmente, para as costas, o que pode lesionar seriamente a coluna", explica Flavia Martinez, educadora física e diretora do Laboratório do Exercício, da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

 

 

Seguir treinos muito longos para emagrecer

 

          Caminhar na esteira por uma hora? Se o desejo é emagrecer, essa não é a melhor estratégia. Treinos longos de baixa intensidade, além de ser um convite à monotonia, queimam menos calorias do que os curtos (até 30 minutos de duração) e intensos, que mantêm os batimentos cardíacos acima de 80% da frequência cardíaca máxima. "Em exercícios de alta intensidade, o metabolismo permanece acelerado por até uma hora após o treino", explica Luiz Fernando Kruel. O campeão de queima calórica é o treino intervalado, que consiste em alternar entre intensidades muito altas (até 90% da frequência cardíaca máxima) e baixas a médias (até 70%). "Manter a mesma intensidade por 30 minutos, mesmo que alta, gasta 50% menos energia do que intercalá-las", diz Kruel.

 

 

Seguir sempre a mesma planilha de exercícios

 

          Os músculos precisam de estímulos variados para se desenvolver. Passar mais de três meses repetindo a mesma série de musculação faz com que os músculos se adaptem ao exercício e parem de crescer. Pequenas variações já trazem resultados. "Mudar a forma de pegar o peso ou a posição do banco já oferecem um novo estímulo ao organismo", diz Paulo Correia.

 

Pular o aquecimento

          O aquecimento é uma das etapas mais importantes do treino, principalmente para quem treina com cargas altas e ritmo forte. Caminhar ou correr por 15 minutos na esteira prepara os músculos para o estímulo da musculação. "Caso os músculos não estejam prontos e sejam recrutados de maneira intensa, podem sofrer lesões e distensões musculares", diz Renata Castro.

 

Vestir roupas impróprias

          Usar roupas que facilitam a realização dos movimentos é essencial na prática de exercícios. O mito de que quanto mais quente for a vestimenta e mais suor ela produzir, mais calorias são queimadas, deve ser abandonado. Uma roupa quente pode bloquear a saída do suor, causar desidratação e baixar a pressão. Prefira peças leves e frescas.

 

 

Negligenciar a postura nos exercícios

 

          A postura correta é aquela em que a coluna está alinhada ao centro de gravidade do corpo. Essa posição é mais confortável e evita machucados na coluna. A supervisão de professores e o auxílio dos espelhos ajudam a encontrar a posição adequada. "É importante lembrar que nem sempre manter a coluna totalmente reta é o ideal. Por isso, o acompanhamento do educador físico é importante, sobretudo nas primeiras vezes em que o exercício for feito", diz Paulo Correia.

Para quem faz uso dos cinturões posturais (que ajudam a pessoa a estabilizar a coluna e, assim, pegar mais peso), a chance de criar dependência é grande. "Quando a pessoa fizer algum exercício sem o acessório, ela poderá ter uma lesão na lombar ou na coluna. O cinturão foi feito para halterofilistas. Frequentadores normais de academia não devem usá-lo", explica Correia.

 

Não ter uma rotina de treino

 

          Treinar uma semana sim, duas não; sumir da academia por um mês; não se exercitar por quatro dias seguidos. Esses são alguns exemplos de falta de rotina no treinamento. "Caso a pessoa não mantenha a regularidade no treinamento, ela não colherá benefícios cardiovasculares e musculares. O corpo precisa ser exercitado regularmente para sair da fase de acomodação e fazer as mudanças necessárias para se adaptar ao estímulo do exercício", diz Flavia Martinez.

 

Exercitar apenas alguns grupos musculares

 

          O corpo é formado por músculos antagonistas e agonistas, que se sustentam e trabalham simultaneamente — um exemplo é o abdômen e a lombar. Para que os treinos tenham bom aproveitamento, é preciso que esses grupos musculares estejam em equilíbrio. "Caso a pessoa exercite o anterior de coxa e deixe de trabalhar o posterior, por exemplo, o joelho ficará fragilizado e mais suscetível a lesões", diz Flavia Martinez. Exercitar o corpo como um todo também é importante para a realização correta dos exercícios, principalmente aqueles que não isolam o músculo, feitos com pesos livres.

























































FONTE: http://veja.abril.com.br/noticia/saude/

Fique longe das micoses


Na temporada de piscina fique longe das micoses


Praia, piscina, calor, altas temperaturas, umidade. O aumento de suor e oleosidade na pele, juntamente com o uso recorrente de roupas molhadas são fatores que aumentam as incidências de micose.

 

 Esta doença fácil de pegar e muito difícil de ser tratada por ficar mais resistente em ambientes úmidos e quentes.

 

Ela é a responsável pelo desenvolvimento de manchas esbranquiçadas ou áreas de vermelhidão e coceira na pele. 

 

 

A micose pode aparecer em diversas áreas do corpo:

 

- Na boca, com bolinhas brancas em pessoas de todas as idades e que possuem baixa imunidade.
- Já o chamado “pano branco” costuma atingir as costas e se assemelha muito com a reação de queimadura de sol, com manchas e descamação da pele.
- As unhas também podem ser atingidas, facilitando a infecção por bactérias, chegando a romper a cutícula.
- Nos pés estão as mais comuns da estação, as temidas frieiras, que causam descamação e coceira na pele de quem usa meias de tecidos sintéticos ou sapatos fechados por muito tempo.
- Estes micro-organismos também podem se alojar na virilha, como resultado da umidade.

 

Mas, como evitar?


No caso da micose a melhor prevenção é a higiene, principalmente após a saída da praia e de clubes. Portanto, lave bem as mãos e não seja adepto daqueles banhos somente para retirar o sal, sempre use sabonete e shampoo. Outra boa dica é secar muito bem o corpo e se perceber que alguma área ficou úmida, use o secador de cabelos para deixar bem seco.
























































































































FONTE: http://www.doctorclin.com.br

Itapoã-BemStar News - Hidro

Venha fazer hidro no Itapoã Clube de Campo, não perca tempo, venha fazer sua inscrição.

 

Você já sabe quais os benefícios que lhe proporciona? Veja abaixo...

 

Benefícios da Hidroginástica:

 

Quando falamos em Hidroginástica, as pessoas logo associam esta prática as pessoas da terceira idade. Realmente, a maioria das pessoas que á procuram são da melhor idade. Até mesmo, os médicos indicam a este público a Hidroginástica a fim de melhorar ou até mesmo prevenir alguma patologia que o paciente possui. Mais se engana quem pense que esta prática não tem seus benefícios, pelo contrário. Abaixo segue uma relação dos benefícios da Hidroginástica:

 

• Tônus muscular - uma melhora considerável e mais rápida do tônus muscular pode ser atingida utilizando resistência da água; (Sova, 1998);


• Circulação sanguínea – á água ajuda a promover a circulação sanguínea devido ao empuxo e a pressão exercida sobre o praticante submerso na água; (Paulo, 1994);


• Resistência cardiovascular – Como todo exercício físico que envolve atividades aeróbicas, a hidroginástica possibilita melhora e ganhos em termos cardíacos;


• Flexibilidade das articulações – Dentro da água a gravidade exerce menos força sobre a musculatura e as articulações facilitando assim o trabalho no ganho de flexibilidade e amplitude dos movimentos (Sova, 1998);


• Consciência corporal – O exercício na água proporciona o desenvolvimento da capacidade de percepção de movimentos, pois o corpo está em contato direto com a água, que facilita essa sensação (Bonanhela, 1994);


• Equilíbrio – Melhora do equilíbrio devido ao trabalho muscular geral desenvolvido nas aulas de hidroginástica (Sova, 1998);


• Relaxamento – O meio aquático, a temperatura da água, a musicalidade são fatores que promovem, relaxamento muscular, articular e mental;


• Aspectos psicológicos – melhora a autoestima, o bem estar mental, a satisfação pessoal, proporciona socialização, estimula autoconfiança, diminui a ansiedade, entre outras (Sova, 1998).

            Quanto ao gasto calórico, a hidroginástica é capaz de trazer ao praticante um consumo de calorias elevado durante uma única sessão, esse que por sua vez é consideravelmente maior do que a mesma atividade realizada fora d’água.
            Outro ponto positivo da hidroginástica é a redução do impacto nas articulações, pois o corpo encontra-se 70 a 90% submerso, reduzindo assim a sobrecarga na coluna e nas articulações de membros inferiores, sendo inclusive indicado para pessoas com osteoporose. Por isso que a grande maioria das pessoas que procuram a Hidroginástica, possui alguma patologia: (Hérnia de disco, Artrose, Artrite, Problemas no joelho, no ombro).
            As aulas de Hidroginástica têm sua duração em média 45min, mais dependendo da Academia pode chegar até 60min. Existem variações de aula, para motivar mais o aluno e dar novos estímulos para o corpo:

 

> Hidro Localizada: Consiste na prática de exercícios de resistência muscular localizada dentro d’água. Grande parte dos exercícios utiliza materiais como: halteres, aquatubo, luvas, tornozeleiras, flutuadores, entre outros;

>Hidro Core: Como o nome já diz é a hidro que trabalha os músculos do core, que envolvem o abdômen, o quadril e a lombar, utilizado principalmente para a correção da postura;

>Hidro abdominal: Muito similar a hidro core com a diferencial de atuar como o próprio nome já diz na região abdominal do aluno;
Hidro aeroboxe: Formada principalmente de exercícios para os membros superiores como socos, deslocamentos, esquivas entre outras;

>Hidro kickbox: Consiste em exercícios que envolvem socos e chutes na água, com velocidade reduzida devido à resistência da água;

>Hidro power: Muito parecida com a musculação, dentro d’água com o benefício da resistência da mesma dificultando a execução e massageando os músculos envolvidos na atividade ao mesmo tempo;

>Hidro step: Atividade executada com o step (passo ou degrau) convencional que envolve movimentos de sobe e desce do mesmo;

>Hidro esporte: Modalidade interessante que envolve movimentos específicos de determinados esportes;

>Hidro circuito: Executado em estações espalhadas pela piscina, cada estação deve ter um exercício diferente para um grupamento muscular ainda não trabalhado naquela aula, os alunos andam em círculos passando por todas as estações, o professor deve determinar o número de voltas a serem executadas na aula;

>Hidro recreativa: Diferente e com enfoque recreativo, essa pode ser utilizada para interação entre os alunos, é repleta de brincadeiras que envolvem trabalho em equipe e também competitividade;

>Hidro avançada: Para alunos com nível avançado, envolve exercícios em séries lentas e rápidas, exige muito esforço cardíaco;

>Deep Runing: Do inglês: Deep = profundo e Running = Correndo, utilizando um flutuador preso à cintura, o aluno deve “correr" no fundo da piscina, exercício eficaz para ganho cardiorrespiratório principalmente.

 



Mais informações compareça a secretaria do clube ou ligue (43) 3531-1312

OBS. Obrigatória apresentação de atestado médico e, o uso de touca durante as aulas.

Itapoã Clube de Campo




Itapoã-BemStar News

Hidroterapia alivia dores e fortalece a musculatura da coluna vertebral

 

Problemas estruturais, adquiridos ou não, podem ser amenizados se região conhecida como "casa de força" for trabalhada com exercícios específicos.

 

Os membros inferiores são a base do corpo humano, e a coluna vertebral, como o nome já diz, é a coluna estrutural dele. Ela é composta por ossos, ligamentos, tendões, músculos e nervos, um esboço ósseo que envolve e protege a medula, parte importantíssima do sistema nervoso central.

 

O famoso CORE, que está em alta nos exercícios funcionais, pilates, na musculação e no hidropilates, nada mais é do que o fortalecimento das musculaturas anterior - abdominal - e posterior - composta pelos músculos dorsais e glúteos. A água, por ser um meio instável que gera desequilíbrio constante, é capaz de ajudar neste fortalecimento. Para equilibrar-se durante as atividades de hidroterapia e ou hidroginástica, é necessário contrair a musculatura do CORE o tempo todo.

 

Na hidroterapia, recebemos vários pacientes com dores na coluna, na região lombar, dorsal e na cervical. Os problemas podem ser mecânicos como protusões, hérnias e compressões, mas normalmente são por fraqueza e encurtamento muscular.

 

Podemos utilizar a água de várias maneiras, de acordo com a patologia do paciente, do grau de dor e de desconforto. Muitas vezes, é necessário aplicar um relaxamento, respiração e deslizamento facial. Utilizamos o calor da água e o empuxo, que atua na redução da ação da gravidade sobre as vértebras, diminuindo o peso corporal e a tensão muscular, o que alivia a dor.

 

Os exercícios são coordenados com a respiração diafragmática com o objetivo de relaxar e soltar a musculatura, aliviando a tensão e diminuindo a dor. Progressivamente, outros exercícios de estabilização são acrescentados para o fortalecimento de toda a região, devolvendo a mobilidade da coluna vertebral.

 

Quando houver qualquer desconforto em alguma parte da coluna, irradiando ou não para a perna, devemos ficar alertas e parar de correr para não agravar os sintomas. Após este repouso, se não houver melhora, devemos procurar um especialista. Vamos ouvir o nosso corpo!

 

 

 

















































































Fonte: Globoesporte.com / EuAtleta.com.

1 2 3 4 5 6 7 8 9
Em Destaque
Esportes
Ultimas Imagens
NOSSOS PARCEIROS
E Dez de 2014 D
DSTQQSS
12345 6
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

17 de Dezembro de 2014

Aguarde...

IP:54.211.219.20

Você é o visitante

481255

Usuários Online: 1

Avalie este site

Livro de Visitas

News Letter

Localização

Itapoã Clube de Campo
Santa Mariana - PR.
(43) 3531-1312